Pet Shop

6 01 2011

[Faixa na frente do pet-shop:  “PROMOÇÃO: BANHO, 12 REAIS (SEG A QUA) / 13 REAIS (QUI A DOM)” (para raças pequenas)]

– Boa tarde.

– Boa tarde. Posso ajudar em alguma coisa?

– Na verdade, sim. Eu vi a faixa ali fora e fiquei interessado…

– É uma promoção válida pra esse mês, senhor. De segunda a quarta, o banho tá saindo mais barato.

– Sim, eu li quando passava pela rua. Mas deixa eu te perguntar uma coisa: qual a razão para o preço ser mais baixo justamente nesses dias da semana?

– Ah, sabe como é, senhor… O movimento costuma ser mais fraco entre segunda e quarta. É muito difícil alguém trazer cachorro aqui, porque o povo trabalha, estuda…

– Entendi. Mas é estranho… Costuma-se trabalhar e estudar nas quintas e sextas também.  Se for olhar por esse critério, podiam dar desconto em todos os dias úteis, não?

– É, olhando por esse lado, faz um certo sentido… Mas como na quinta e na sexta o movimento é maior, manter o desconto poderia trazer prejuízo à loja.

– Hum… Mas veja só, o desconto é de um real só, não?

– Sim, de R$13,00 pra R$12,00.

– Mas então… a lógica é falha, completamente falha. Em primeiro lugar porque o desconto é ínfimo… o que se compra com um real hoje em dia? E em segundo lugar porque a loja fica nesse bairro pouco movimentado, o que me leva a crer que número de clientes não deve ser tão alto a ponto desse desconto fazer alguma diferença no fim do mês.

– É…

– E justamente por ser ínfimo, esta promoção não atrai ninguém para a loja. Alguém que precisa dar banho no cachorro na sexta-feira, não vai esperar até segunda-feira pra ganhar R$1…

– Por esse lado sim, mas olha…

– Então, no fim das contas, ganha o benefício quem já tinha a intenção de trazer o animal nesses dias, de qualquer jeito. Se vocês cobrassem R$13 de segunda a quarta, garanto que tais pessoas viriam da mesma forma. R$1 real pra elas não deve fazer muita diferença… é um dinheiro que, no fim das contas, vocês estão deixando de ganhar sem propósito algum.

– Mas senhor, tem gente que vai se interessar em trazer aqui só por causa do desconto…

– Muito difícil. Mas vamos seguir sua linha de raciocínio e imaginar um sujeito pão duro, bem sovina, que trará o bicho aqui na terça feira pra “ganhar” um real. Veja bem: como ele é mão-de-vaca, deve trabalhar pra ganhar seu dinheiro “suado”, então, só deve folgar aos sábados e domingos.

– Sim.

– Logo, ele se verá forçado a trazer o cachorro na terça feira – data péssima pra ele – após o expediente. Virá apressado, de mau humor e cobrando um serviço rápido e bem feito. Mais dificuldade para os funcionários da loja e mais estresse pra você.

– Ah… É… Então… Mas não fui eu que estipulei esse desconto não, veja bem. Isso aqui é idéia da “dona” da loja.

– Ah, sim, compreendo.

– Mas o que acha de trazer seu cachorro aqui qualquer dia desses? Verá que o serviço é ótimo.

– Bem que eu gostaria, mas antes gostaria de esclarecer uma última dúvida: na placa está escrito que os valores são para raças pequenas. Qual é o critério objetivo utilizado para definir se uma raça é pequena ou não?

– Ah, a gente olha né… Se for grandezinho assim é mais caro…

– Mas filha, isso é um critério estritamente subjetivo, embasado no seu juízo de valor. E ele é amplamente aberto a falhas… veja bem, você pode achar um cachorro “grande”, depois aparecer outro de estatura similar, e você considerar pequeno, por ter olhado com mais atenção. Ou pior: algo que você acha grande, pode ser pequeno pra outra vendedora ali.

– É, mas…

– Vocês deviam ter uma lista de preço por tamanho ou preço por raça.

– Sim, mas sabe… a loja é pequena, a gente não tem condição de fazer isso não…

– E tem um último problema ainda, minha querida. Veja bem… imagine um cachorro pequeno, mas muito peludo, e um grande e pelado. Em qual vocês gastariam mais tempo e produtos de higiene?

– No peludinho.

– Então, o preço do banho dele deveria ser mais alto, não?

– Faz sentido.

– Mas tudo bem, vou parar de tomar seu tempo. Mas gostei da loja, vou trazer meu cachorro aqui qualquer dia desses. Num sábado, porque o desconto não faz diferença.

– Traga sim, aí é só me procurar, tá? Meu nome é Alice, fico aqui nesse horário.

– Tá bom, Alice, pode deixar. Uma boa tarde pra você.

– Boa tarde pro senhor também, e venha mesmo!

– Volto sim!

Mentira. Nem tenho cachorro. Só sou um grande filho da puta.

Anúncios